Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

Temos um advogado

A bíblia fala no livro de 1 João Capítulo 2: Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.




Muitas são as situações na vida de um ser humano em que ela pode necessitar de um advogado, mas as principais delas são quando somos acusados de alguma coisa ou queremos requerer algo do poder judiciário. O livro de Salmos Capítulo 7 nos deixa claro que Deus é um justo juiz e está pronto para julgar as nossas causas. No livro de Romanos fala que todos nós pecamos e estamos destituídos da gloria de Deus. Então se o homem peca, logo vem o inimigo das nossas almas nos acusar e fazer com que o nosso pecado nos coloque pra baixo em depressão espiritual. Mas quando somos acusados temos Cristo o nosso fiel advogado.

Pelo quarto ano estou na universidade cursando direito. Os três primeiros anos foram de muita lei, processo, doutrina e jurisprudência aguardando ansioso o momento de termos algo prático. Foi quando no começo deste ano comecei fazer a matéria de prática jurídica Civil I. Foi nesta que logo começamos a fazer algumas peças processuais como Petição Inicial, Contestação, Reconvenção, Exceção e etc. Numa peça processual logo após a qualificação das partes é absolutamente necessário dois subtítulos, um chamado “Dos Fatos” e outro chamado “do direito”

Imagine você três anos de conhecimento acumulado de lei, doutrina, jurisprudência, a tendência de qualquer aluno, ainda mais atuando em um processo fictício é passar meio por cima os fatos e partir logo para fundamentar o direito. Foi numa dessas que fui advertido pelo professor a descrever com mais clareza os fatos. Absolutamente correto, disse ele que os fatos precisavam ser descritos detalhadamente, pois devemos partir do princípio que a lei o juiz conhece, porém cada caso é um caso. “Daí me os fatos que te darei o direito”. Lembro me do meu professor dizendo que o bom advogado é um bom contador de histórias, aquele que faz com que quem leia a sua peça entre dentro do fato e imagine a situação real como ela foi.

O nosso advogado, Jesus Cristo, também é um bom contador de histórias. Basta você ler Mateus, Marcos, Lucas e João e você vai ver Cristo contando parábolas. É você ler: “eis que o semeador saiu a semear...” e você já está contemplando o semeador. Basta você ler a parábola do filho pródigo e as cenas se tornam tão reais que parece que você está vivendo a história do filho que deixou a casa do pai.

Porém há uma conclusão além que eu chego nesse momento. Não basta o advogado ser um bom contador de histórias, é preciso ele saber a história do seu cliente de maneira detalhada. E para isso é preciso haver bom tempo de conversa entre advogado e cliente, pois o primeiro contato para uma causa ganha é um cliente que fala abertamente com seu advogado e conta todos os detalhes do seu caso.

No mundo espiritual não é diferente, não basta Cristo ser um bom argumentador diante do justo juiz, precisa que ele ouça de nós a nossa história. Verdadeiramente nós temos um advogado para com o pai, mas para que ele tome as nossas causas em suas mãos ele precisa ouvir de nossa boca que contemos as nossas histórias para ele e é aí que entra o poder da oração. É quando dobramos o joelho e batemos um particular com o nosso advogado é que começa a ser solucionado os nossos problemas. Quer vitória? Quer que esse advogado fiel advogue a sua causa? Ore, Conta pra ele tudo que estás passando, tudo que estás sentindo, tudo que estás precisando. Já tirou seu tempo de oração hoje?