Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

VESTIDOS E REVESTIDOS

Vivemos em um presente contexto de acirradas discussões eclesiásticas quanto a usos, costumes, doutrinas e maneiras de um cristão proceder diante da sociedade. Esta importante discussão acrescenta em muito o fortalecimento da fé cristã por parte daqueles que estão preocupados em conservar uma igreja santa e agradável aos olhos de Deus. Neste contexto, diversas reflexões são feitas e a hermenêutica bíblica muitas vezes conduz a interpretações diversas por alguns dos nossos estudiosos e teólogos. Entretanto as lições bíblicas ao discorrerem sobre vestimentas, por vezes, nos trazem ensinamentos que vão além de uma mera discussão costumeira, pois falam daquilo que é incorruptível, imaterial, das coisas que são de cima.
O vestir de um ser humano, muitas vezes, denota as suas características. Olhamos para uma pessoa e muitas vezes já imaginamos sua vida, seu meio sociocultural e as pessoas com as quais esta convive. Em que pese muitas vezes estarmos equivocados, outras vezes, chegamos a conclusões inequívocas. Olhamos para alguém com um jaleco branco e logo concluímos tratar-se de um profissional de saúde, e as suas credenciais o identificarão como médico, enfermeiro, dentista, farmacêutico, etc. De igual modo vemos alguém de terno e já imaginamos um executivo, um advogado, um empresário. Assim acontece com o profissional de serviços pesados quando o vemos com o macacão de sua empresa.

Qual a melhor roupa? A resposta é “Depende”. A melhor é a mais adequada para aquilo que estarei fazendo. A melhor roupa para tarefas na cozinha, não é a melhor para tarefas no quintal de casa, que também não será a melhor para um passeio, para ir a igreja, para ir a universidade.

Quando a bíblia fala em vestimentas ela está falando em capacidade e disposição para aquilo que pretendemos fazer. No capítulo 12 de 2 Samuel, vemos um rei Davi chorando a morte de seu filho e se humilhando na presença de Deus. Davi estava vestido de sacos e humilhado na presença de Deus buscando a cura para o seu filho, mas quando a morte chegou e a esperança naquele milagre acabou, ele entendeu que a vontade de Deus era diferente da sua. Então Davi (v. 20) se levantou, se lavou, se ungiu e MUDOU DE ROUPAS e entrou na casa do Senhor e adorou. E então Deus tira Davi do luto para voltar a luta e prosseguir a sua jornada e posteriormente fazer grandes coisas na vida de Davi.

Ao mudar de roupa, Davi está mudando a sua predisposição. Está mudando suas atitudes e colocando vestes reais pois Deus o havia capacitado para ser rei em Israel. Deus nos veste de capacidades e Ele dá a cada um a “vestimenta” de acordo com o trabalho para qual ele designa.

Muitas vezes questionamos, pois queríamos outra capacidade, queríamos algo diferente, olhamos para os que nos cercam e nos sentimos pequenos. Mas se Deus assim o faz é pela necessidade de que seus trabalhadores atuem nas diversas frentes no resgate as almas para o reino dos céus. Nem todos os cantores da música gospel gravarão pela som livre, pela patmos music, ou terão o seu CD divulgado pela globo, alguns serão chamados a cantar no deserto e pela sua capacidade fazer aquilo que vier a sua mão para fazer. Nem todos os pregadores estarão nos grandes púlpitos, em GMUH, das matrizes, alguns- assim como eu- serão chamados a levar a palavra aonde ninguém quer levar, aos poucos, nas igrejas pequenas, aonde estão os esquecidos. E nem todos farão o trabalho no lado de dentro da igreja, a maior tarefa começa da porta da igreja pra fora, na evangelização de almas e nisso todos nós temos que trabalhar. Deus dá capacidade para cada um. Ele nos veste de acordo com o nosso trabalho.

Entretanto, nem sempre é suficiente estarmos vestidos. Imaginemos que vamos sair em um dia de chuva. Se sairmos vestidos como habitualmente estamos acostumados a nos vestirmos certamente enfrentaremos seríssimas dificuldades e voltaremos encharcados. De igual modo ao sairmos em uma temperatura rigorosamente baixa precisamos algo mais além do que estamos acostumados a vestir. No sul do país há uma vestimenta usada pelo gaúcho chamada de Pala, nos dias mais frios, a pessoa veste toda a sua roupa e por cima dela coloca o pala. De igual modo acontece com a capa de chuva em dias chuvosos, estou colocando algo além da roupa. Isto é revestir.

O revestimento é uma proteção extra para momentos especiais. Seja, na chuva, no frio, seja para enfrentar uma batalha como um bom soldado na guerra é necessário e imprescindível que haja um revestimento.

Quando Deus chama alguém para fazer a sua obra ele VESTE de capacidade, mas ele nos orienta que não basta que estejamos vestidos. É preciso estar revestido. Antes de Jesus subir aos céus, ele prometeu aos seus discípulos que eles fariam coisas maiores do que o próprio Cristo havia feito. Curariam enfermos, expulsariam demônios, pisariam em serpentes e escorpiões, comeriam coisa mortífera sem que esta lhes fizesses dano algum. Jesus havia estado com eles, instruído, conhecido os seus talentos e capacidades mas o Mestre sabia que haveriam momentos em que a capacidade limitada não seria o suficiente e por isso ele dá uma ordem fundamental para a igreja da dispensação da graça: “E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. Lucas 24:49”

O segredo para vencer as limitações, as faltas de talento, as faltas de jogo de cintura ou a inexperiência existe está no revestimento de poder. É possível que em momentos de alegria, de mesa farta, de acomodação, de sentar em frente a uma televisão e tornar-se um alienado para aquilo que a mídia injeta na cabeça das pessoas seja suficiente estar vestido de capacidade humana. Mas o enfrentamento as batalhas, tempestades, imprevistos de uma vida de trabalho pra Deus é imprescindível o revestimento de poder.

É preciso buscar, clamar, bater, insistir, orar todos os dias, para que Deus nos revista de poder e enfrentemos todas as lutas, todas as provas, todas as dificuldades com a certeza de que em Cristo somos mais que vencedores.