Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

Os Pronomes do Salmo 23


Qual leitor da bíblia que não conhece décor o salmo 23? [O Senhor é meu pastor e nada me faltará...]
Entretanto, hoje Deus falou fortemente ao meu coração sobre os pronomes do texto.
O pronome possessivo “meu” dá indícios de uma experiência pessoal do salmista, de uma vida dele próprio com Deus, pois o Senhor é o seu pastor.
A experiência pessoal é composta por dois momentos: o primeiro momento descrito nos versículos 1 e 2 em que o salmista está deitado em pastos verdes e nada lhe falta, o outro é o vale da sombra da morte. É interessante notar que os momentos distintos possuem pronomes de tratamento distintos.
Nos momentos em que nada falta, os pastos estão verdes e a água é tranqüila Deus é chamado de Senhor. Senhor é um pronome respeitoso que deixa explícita a enorme distância entre um Deus imortal e um homem falível e de carne e osso.
Entretanto no versículo 4, o salmista anda pelo vale da sombra da morte, o momento é tenso, é tribuloso, é complicado. Porém, no vale da sombra da morte o pronome é TU. “Tu” é pronome para amigo íntimo, pessoa próxima. Você não chama um estranho de “tu”. “Tu” é para quem tem intimidade. O salmista nos mostra que no vale da sombra da morte é que criamos intimidade com Deus.
No vale aprendemos a orar, jejuar, consagrar e buscar mais de Deus. Não murmures se você está passando pelo vale, Deus quer te dar intimidade com Ele.
“Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque TU estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”

Protegidos em Deus


“Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.” Salmos 91:4
Quão épico e memorável é o salmo de número 91 que nos fala sobre a confiança no Senhor daquele que habita no esconderijo do altíssimo.
A hermenêutica do texto é bastante vasta e conhecida, mas quero discorrer sobre o versículo 4.
A segurança que Deus nos oferece é comparada àquela que a ave desenvolve aos seus filhotes: cobertos com penas e escondidos debaixo das ases. A ave começa a proteção ainda antes de o seu filhote sair do ovo. Ainda mesmo sem vê-lo ela protege a vida que está por vir. Deus.  No versículo 16 do Salmo 139 o Salmista descreve: “Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe” o Apóstolo fala na sua carta aos Gálatas que “Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,” (Gálatas 1:15). Deus contempla a nossa chamada, nosso ministério, nossos projetos, ainda antes de sermos gerados para a vida e está a nos proteger.
A proteção das asas é algo disponível a todos que escolherem ficar protegidos em Deus. Mas o texto fala de outra proteção disponível. É aquela da qual devemos nos apossar e aprender a usá-la chamada verdade. A verdade é escudo e broquel.
O escudo é uma armadura pesada, grande, forte e resistente. Ele é usado para grandes guerras na luta contra inimigos armados. A verdade de Deus nos serve de escudo diante da perseguição da mídia aos cristãos, diante das sátiras aos evangélicos constantemente visíveis em telenovelas, a verdade de Deus nos serve de escudo diante de uma mídia tendenciosa, satânica e imparcial.
Entretanto existe outra armadura menor chamada Broquel. O que é broquel? Trata-se de uma espécie também de escudo. Entretanto broquel é um escudo menor, pequeno e de fácil manuseio. Devido ao fato de ser pequeno o broquel é usado nas lutas de espada, nos confrontos homem a homem. E a verdade também nos serve como broquel.
A verdade nos serve de escudo quando pessoas confrontam nossa fé, mostrando doutrinas seculares mundanas, interpretações erradas, seitas, heresias, etc. Somos avisados pelo Espírito Santo que “nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (1 Timoteo 4:1). Mas o cristão verdadeiro não segue a onda, não se engana e permanece firme naquilo que aprendeu.
Conhecemos a verdade que liberta, a verdade que salva, a verdade que mudou as nossas vidas e por isso não recuamos, não entregamos a guerra, não jogamos a toalha, mas vencemos na força do Senhor. Não devemos temer as batalhas, sejam elas grandes ou pequenas. Seja ela contra inimigos distantes e suas flechadas  ou contra inimigos visíveis e presentes e suas lutas de espada, a verdade é escudo e broquel.

A sexualidade a luz da Bíblia Sagrada



“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. Apocalipse 21:8
O texto epigrafado do livro do Apocalipse nos causa pavor e temor ao tratar de um assunto tão real sobre as coisas que hão de acontecer com o julgamento dos seres humanos pelos seus atos. A sentença condenatória aos que cometem os pecados descritos neste versículo é taxativa e não abre margem para interpretações distintas. Entre os pecados de feitiçaria, mentira, idolatria, homicídio está incluído a fornicação.
O que é fornicação? O Dicionário Online de português define como “Ação de fornicar; sexo ou relação sexual; coito. Relação sexual entre pessoas que não são casadas”.
Mas como reprimir uma vontade tão grande? Seria o sexo algo maligno para que Deus o tratasse como pecado?
O sexo (conjunção carnal entre um homem e uma mulher) é uma benção de Deus “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. Efésios 5:31” Entretanto a bíblia é clara em afirmar que ele é destinado a uma relação matrimonial monogâmica.
Como me manter fiel.
A clareza das definições bíblicas para a abstenção ao sexo enquanto solteiros nos dá diretrizes para buscarmos soluções para conseguir algo que parece tão difícil. A bíblia nos ensina a ter compromisso e, por conseguinte, excluir a prática do “ficar” de nossas relações cotidianas. Assim oramos, pedimos direção divina e vamos em busca de uma relação com compromisso ao que chamamos de namoro. O namoro é uma fase de conhecimento em que ambos irão usar os momentos proporcionados para conhecer, buscar afinidades, encontrar maneiras de dirimir as opiniões conflitantes e buscar a convicção de fazer a escolha certa da pessoa que irá viver o resto de suas vidas.
O transcorrer dos dias em um namoro faz com que se criem intimidades no tocar,  no abraçar, no beijar. As intimidades costumam despertar hormônios, sentimentos e vontades. A intimidade é uma coisa que nunca volta atrás, ela sempre cresce e gera uma busca incessante de satisfação de vontades.
A força para vencer as próprias vontades não se consegue sozinho, mas somente com a ajuda do Espírito Santo. Existe uma intimidade muito importante que em regra os casais de namorados não desenvolvem chamada intimidade espiritual. Pode parecer careta, mas orar junto, ler a bíblia junto, cultuar junto, são questões fundamentais para o sucesso de um relacionamento. Tanto se fala na necessidade de culto doméstico para o fortalecimento espiritual no lar, mas muitas vezes não se ensina que esta intimidade com Deus se começa no namoro.
Se você em todo o período de namoro não desenvolver um momento de intimidade espiritual isto não acontecerá naturalmente com a benção do casamento. Intimidade com Deus é uma coisa que não vem da noite para o dia.
É difícil começar esta intimidade e é aí que entra a importância da igreja. Se não estou a vontade para desenvolver uma intimidade espiritual em casa, então devo usar a igreja para isto. Como me comporto ao lado da namorada durante o culto? Fico com vergonha de dar um glória a Deus? Estar com ela me faz ter menos intimidade com Deus? Use o momento do culto para aproximar vocês com a benção de Deus. Ore a Deus para que fale ao coração da pessoa que você ama. Volte da igreja falando de questões espirituais.
O namoro é também um momento de fazer planos. A regra é planejar onde morar, qual casa, qual carro, quantos filhos, quais os nomes. E os planos espirituais? E a chamada de cada um? Sente com a pessoa que ama e converse sobre o que farão na igreja, se as chamadas são compatíveis.
O livro de Eclesiastes nos diz que há um tempo determinado para todas as coisas. Se não soubermos avaliar as situações e esperar a hora certa seremos pessoas ansiosas e precipitadas. Aguardar é uma virtude. Esperar é uma ordem e se esperarmos veremos que todo o sacrifício valeu a pena. O que estamos plantando hoje par o futuro? Reflita ore, ouça a voz de Deus e tenha um relacionamento agradável aos olhos de Deus. A tarefa é árdua, o caminho é difícil. Mas quando sentirdes as dificuldades, lembre se que não foi fácil para Cristo morrer na cruz do calvário de braços abertos por você. Deus te ama, seja fiel a Ele.

12/06/2013


Lembranças me ocorrem de um frio que tomava meu corpo. Era inverno, os dias escuros e gélidos que por vezes pareciam que meu corpo não agüentaria. A gente sabe que primeiro Deus nos prova e que há um tempo determinado para todas as coisas, mas o frio intenso dá uma sensação de insegurança e nos faz parecer que a primavera não vai chegar, esfriando o coração, nos deixando sem sentimentos e durões. O tempo de Senhor não tem data certa e esta incerteza faz nossa falta de fé duvidar do agir dele. Mas Deus sempre tem o melhor, e foi assim, sem desanimar, que o inverno passou.
Foi quando menos esperava, você surgiu como um sol e quebrou o gelo do meu coração, aquecendo-me com o seu. A sensação é semelhante a de Cantares 2.12 quando  aparecem as flores na terra, é tempo de cantar A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem. Mas a nossa química, a nossa singularidade e a nossa cumplicidade é algo que nem Salomão no auge da sua sabedoria conseguiria decifrar. Nos completamos de maneira incrivelmente incrível. Um amor perfeito, único, incomparável, escrito pelas mãos de Deus. AMO VOCÊ.

Jacson de Lima- Cerimônia de entrega da Carteirinha da OAB


Compartilho, minhas fotos deste momento solene e deixo um texto bíblico para reflexão em forma de gratidão a Deus.

"Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao SENHOR teu Deus pela boa terra que te deu.
Guarda-te que não te esqueças do SENHOR teu Deus, deixando de guardar os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te ordeno;
Para não suceder que, havendo tu comido e fores farto, e havendo edificado boas casas, e habitando-as,
E se tiverem aumentado os teus gados e os teus rebanhos, e se acrescentar a prata e o ouro, e se multiplicar tudo quanto tens,
Se eleve o teu coração e te esqueças do SENHOR teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão;
Que te guiou por aquele grande e terrível deserto de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de terra seca, em que não havia água; e tirou água para ti da rocha pederneira;
Que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram; para te humilhar, e para te provar, para no fim te fazer bem;
E digas no teu coração: A minha força, e a fortaleza da minha mão, me adquiriu este poder.
Antes te lembrarás do SENHOR teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires riqueza; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia."
Deuteronômio 8:10-18






























 Colegas 
Juramento




 Dr. Rodrigo Severo, colega de trabalho, representando a procuradoria do Município.



 Mano: Jarbas Bueno de Lima






























 Cunhada: Dinéia Oliveira de Lima





























“Geazis” Contemporâneos

“E Geazi passou adiante deles, e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não havia nele voz nem sentido; e voltou a encontrar-se com ele, e lhe trouxe aviso, dizendo: O menino não despertou.”  2 Reis 4:31
A história do capítulo 4 do Segundo livro de Reis fala de uma mulher sunamita, que seu filho havia morrido. Esta mãe foi a procura do socorro divino através do profeta Eliseu. Embora possamos tirar muitas lições tanto da vida desta mulher, quanto do profeta, nesta feita quero falar sobre outra figura importante que aparece neste capítulo da bíblia sagrada. Geazi, um exemplo negativo a não ser seguido.
Geazi, a mando do profeta Eliseu, foi a frente do profeta, para verificar qual o estado do menino e voltou com uma notícia: o menino não despertou. Logo em seguida, o profeta Eliseu foi até o lugar onde o menino estava, orou a Deus e Deus fez o milagre da ressurreição.
Ao aplicar esta palavra aos dias contemporâneos eu vejo que somos testemunhas de mortes preocupantes. Não falo de mortes do corpo físico, mas sim de mortes espirituais.  É quando perdemos a vida espiritual. Há outro texto no blog que falo que a vida é evidenciada pela presença de sentidos espirituais que nos dão uma vida plena com Deus. Há muitos homens e mulheres que morrem espiritualmente e vão matando os que estão ao seu redor.
Entretanto a minha preocupação é com os obreiros da casa do Senhor. Infelizmente há muito mais cantores, pregadores e demais trabalhadores da vinha inspirados em Geazi do que inspirados em Eliseu. Quantas vezes, tenho visto os nossos itinerantes contando “tristimunhos” de lugares em que foram pregar ou cantar e já não há mais uma igreja viva da forma como iniciou o movimento pentecostal.
É muito fácil fazer o papel de Geazi: ir adiante, passar o bordão e voltar dizendo “o menino não despertou”. Cantar, pregar, se contentar em não ver nada demais e voltar reclamando que a igreja é fria. O difícil é fazer o papel de Elizeu, e orar a Deus pra que o morto ressuscite e pra que onde não há mais vida, Deus faça brotar a vida.
No versículo 34 diz que Elizeu colocou a sua boca sobre a boca do menino , as suas mãos sobre as mãos do menino, e o seu corpo sobre o corpo do menino, de modo que o menino foi aquecido pelo calor do seu corpo e após a oração veio a despertar.
É fácil chegarmos na nossa frieza, passarmos o bordão, constatar a ausência de vida e voltarmos embora. Mas Deus precisa, nos últimos dias, homens e mulheres dispostos a manter acesa a chama dentro de si. Pessoas que com o seu calor espiritual possam aquecer aqueles que já morreram espiritualmente. Deixa de ser um Geazi que só sabe reclamar e seja você um Elizeu. Precisamos de um avivamento.

O iniciar de capítulos



Pus-me a refletir nos últimos dias sobre as semelhanças do iniciar dos Capítulos 1 e 3 do livro do profeta Jonas . “E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive” (Jonas 1:1-2); “E veio a palavra do SENHOR segunda vez a Jonas, dizendo: Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive” (Jonas :1-2). Não obstante a isso, refleti sobre o que leva Deus a repetir o chamado feito outrora no passado em nossas vidas e o porquê do mesmo mandado ter de ser repetido.
Quando olho para a bíblia sagrada, no antigo testamento vejo Deus agindo na vida de uma nação, a nação de Israel. Todos os milagres, prodígios, sinais, maravilhas, foram realizados na vida de uma só nação ou tendo como protagonista esta nação. Entretanto a partir de Jesus Cristo a história passa a girar não somente em torno dos Judeus, mas também dos gentios. O Evangelista João registra isso “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; (João 1:11-12)”.
Jesus Cristo, a partir de sua vida na terra, inaugura uma nova fase para a humanidade. Uma fase em que Deus passa a operar em todos aqueles que o receberam como seu Salvador e Senhor. E esta graça que de Deus foi manifesta, foi tão grande que o agir de Deus já não caberia mais em páginas de livros, por esta razão Deus permitiu que com o livro do Apocalipse se encerrasse o livro que chamamos de Bíblia Sagrada.
Entretanto, se por um lado a bíblia parou de ser escrita, o Deus das páginas sagradas jamais deixou de operar. Ele operou ao longo dos mais de dois mil anos após o nascimento de Cristo, seja na idade moderna ou na contemporânea, em todos os momentos Ele estava ali agindo, com milagres até maiores do que a bíblia registra. E continua a agir na contemporaneidade.
Penso que se Deus permitisse que a bíblia continuasse a ser escrita nos dias atuais, dentre as histórias que seriam contadas, a minha e a sua estaria lá. Tenho por certo que cada um de nós seria um livro sagrado, pois Deus opera em nossas vidas desde o levantar pela manhã, até o cair da noite. Se somos como um livro, a cada ano novo, é um capítulo novo escrito por Deus e assim as nossas vivencias vão possuindo uns mais outros menos capítulos mas Deus continua agindo na vida de cada um.
A cada capítulo que se inicia, Deus tem uma maneira muito característica de inicia-la. Tal qual Jonas a mensagem de Deus para com as nossas vidas é levanta e vai. É Impressionante como a cada virada de ano fazemos planos novos, projetos novos, propósitos novos com Deus, e todas as vezes que nos colocamos na presença dele Ele nos manda LEVANTA E VAI.
Apesar das semelhanças no iniciar dos capítulos 1 e 3, os finais dos respectivos capítulos são bem diferentes. E a diferença nos finais de cada capítulo, se deve a atitude do profeta em relação ao mandado de Deus. Enquanto no capítulo 1, Jonas desobedece a Deus e passa a enfrentar ventos, tempestades, é jogado ao fundo do mar e termina o capítulo no ventre de um grande peixe, no capítulo 3 Jonas obedece, prega a palavra e ao final do capítulo vê uma grande cidade se arrependendo e Deus tendo compaixão dela.
Iniciou se 2013 e já estamos do dia 13/01 e a mensagem de Deus para você neste ano é levanta e vai e faz tudo conforme eu te mandar. O iniciar do capítulo é semelhante, talvez igualzinho ao que você ouviu lá atrás quando Deus te pediu para orar mais, buscar mais, jejuar mais, entregar a sua vida a Ele sem reservas. Mas quem sabe você até hoje tenha desobedecido, e tem terminado sempre nas profundezas da tristeza e da depressão, sentindo-se como no ventre de um peixe. Deus está iniciando um capítulo novo na sua história.
O iniciar é dele e é igual para todos LEVANTA E VAI, porém o final você decide. Se escolheres o caminho da desobediência, andarás errante, viverás uma vida decadente, sofrerás prejuízos, tristezas, decepções. Entretanto se ouvirdes a voz de Deus, e fazer tudo conforme Ele te mandar, ao final do capítulo estarás colhendo os frutos e vivenciando a graça e a misericórdia divina sobre a tua vida e sobre a vida daqueles que te cercam.
Como está escrito no livro de 2 Crônicas “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Cr 7:14). A escolha é sua, tens o caminho da obediência e o da desobediência. O início do capítulo se dá com o mandado de Deus, mas o final do Capítulo é você quem determina o que queres. E aí, qual vai ser?