Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

“Geazis” Contemporâneos

“E Geazi passou adiante deles, e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não havia nele voz nem sentido; e voltou a encontrar-se com ele, e lhe trouxe aviso, dizendo: O menino não despertou.”  2 Reis 4:31
A história do capítulo 4 do Segundo livro de Reis fala de uma mulher sunamita, que seu filho havia morrido. Esta mãe foi a procura do socorro divino através do profeta Eliseu. Embora possamos tirar muitas lições tanto da vida desta mulher, quanto do profeta, nesta feita quero falar sobre outra figura importante que aparece neste capítulo da bíblia sagrada. Geazi, um exemplo negativo a não ser seguido.
Geazi, a mando do profeta Eliseu, foi a frente do profeta, para verificar qual o estado do menino e voltou com uma notícia: o menino não despertou. Logo em seguida, o profeta Eliseu foi até o lugar onde o menino estava, orou a Deus e Deus fez o milagre da ressurreição.
Ao aplicar esta palavra aos dias contemporâneos eu vejo que somos testemunhas de mortes preocupantes. Não falo de mortes do corpo físico, mas sim de mortes espirituais.  É quando perdemos a vida espiritual. Há outro texto no blog que falo que a vida é evidenciada pela presença de sentidos espirituais que nos dão uma vida plena com Deus. Há muitos homens e mulheres que morrem espiritualmente e vão matando os que estão ao seu redor.
Entretanto a minha preocupação é com os obreiros da casa do Senhor. Infelizmente há muito mais cantores, pregadores e demais trabalhadores da vinha inspirados em Geazi do que inspirados em Eliseu. Quantas vezes, tenho visto os nossos itinerantes contando “tristimunhos” de lugares em que foram pregar ou cantar e já não há mais uma igreja viva da forma como iniciou o movimento pentecostal.
É muito fácil fazer o papel de Geazi: ir adiante, passar o bordão e voltar dizendo “o menino não despertou”. Cantar, pregar, se contentar em não ver nada demais e voltar reclamando que a igreja é fria. O difícil é fazer o papel de Elizeu, e orar a Deus pra que o morto ressuscite e pra que onde não há mais vida, Deus faça brotar a vida.
No versículo 34 diz que Elizeu colocou a sua boca sobre a boca do menino , as suas mãos sobre as mãos do menino, e o seu corpo sobre o corpo do menino, de modo que o menino foi aquecido pelo calor do seu corpo e após a oração veio a despertar.
É fácil chegarmos na nossa frieza, passarmos o bordão, constatar a ausência de vida e voltarmos embora. Mas Deus precisa, nos últimos dias, homens e mulheres dispostos a manter acesa a chama dentro de si. Pessoas que com o seu calor espiritual possam aquecer aqueles que já morreram espiritualmente. Deixa de ser um Geazi que só sabe reclamar e seja você um Elizeu. Precisamos de um avivamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário