Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

Supostos erros teológicos na canção raridade

Acabo de me deparar com um debate acerca de supostos erros teológicos na Canção Raridade, analisados pelo pastor metodista Ildo Mello. Embora interessante a preocupação com a santidade da igreja cristã para não cair em heresias, há que se analisar alguns aspectos interessantes.
A primeira análise feita pelo referido pastor é de que  a frase “O pecado não consegue esconder A marca de Jesus que existe em você . O que você fez ou deixou de fazer Não mudou o início, Deus escolheu você”. Segundo o mesmo, tal afirmativa iria de  encontro aos ensinamentos sagrados pois dá a entender que o pecado não importa na vida do cristão, visto que não importa se o escolhido pecar ou não já está determinado sua situação de salvação.
Que me desculpe o digníssimo pastor, mas tal interpretação está equivocadíssima, visto que parece que há um desconhecimento entre os significados de “início” e “fim”. Notem que em nenhum momento o autor da canção cita que cometer pecado não alterará o destino final de sua alma. O que o autor cita é que os erros cometidos ao longo do caminho não fazem Deus se arrepender de ter escolhido alguém, visto que não altera o INICIO. Pode-se tonar que o crítico pastor faz referência ao apóstolo Paulo ao citar seus textos veementemente fortes contra o pecado. Pois bem o próprio apóstolo Paulo no capítulo 7 aos Romanos escreve contando suas misérias e confessando que muitas vezes acaba fazendo mal mesmo desejando fazer o bem.
Notem que as referências da canção são quanto ao que “você fez” ou “deixou de fazer”. É também uma questão semântica visto que tais verbos estão conjugados no passado. Em nenhum momento há afirmação de que não importa o que você irá fazer, mas sim que não devemos estar acorrentados ao passado, visto que a misericórdia do Senhor se renova todos os dias na nossa vida. Isaías 43:25 o próprio Deus diz:... "Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro".
Quanto a segunda parte sobre refletir a imagem do Senhor. A mesma é uma paráfrase ao texto de 1 Coríntios 13:18, que faz referência a passagem de Moisés quando o mesmo no deserto desejou ver a ‘face’ e Deus lhe deu a oportunidade de sentir um pouco da ‘glória do Senhor’. “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” 2 Coríntios 3:18.
Desse modo, quando o autor da canção fala em “não chore se o mundo ainda não notou” há logo em seguida a referência quanto ao valor de cada um e não quanto a refletir a glória do Senhor. O segundo aspecto a considerar é claramente que é uma música evangelística destinado a alguém que caiu, pecou, errou e por isso já outras pessoas não conseguem reconhecer o seu valor. Há inúmeros exemplos de homens de Deus na bíblia que erraram, Jonas fugiu, Davi cometeu adultério e homicídio, Pedro negou a Jesus. Por sinal a grande maioria desses homens não tiveram seu valor reconhecido pelo mundo até começarem a ser grandemente usado por Deus.
Ainda o pastor faz uma crítica quanto a “se você desistiu, Deus não vai desistir” citando as palavras de Jesus e de Paulo para que cuidemos estar em pé para não cairmos e que se negarmos Deus, Ele nos negará. Aí há uma confusão tremenda, pois a análise do pastor confunde DESISTIR com NEGAR A DEUS. Desistência e negação não são sinônimos nem aqui nem na China. O claro exemplo bíblico que tenho na bíblia de desistência é o de Elias, que pediu em seu ânimo a morte, pois havia desistido de seu ministério, mas Deus levantou e não desistiu de Elias, mesmo quando ele já havia desistido. Paulo, que é tão veemente contra o pecado, cita quem em momento de fraqueza quase desanimou da vida “ Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos.”  II Coríntios 1:8.
Por fim, finalmente concordamos com que Deus pode levantar o homem quando pelas influências humanas este cair. Realmente o mundo não tem poder para derrubar o homem, visto que caímos por nossas fraquezas. Mas cuidemos para não nos considerarmos super-homens “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. 1 Coríntios 10:12”. Ainda a epístola aos Hebreus cita “Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;” Hebreus 12:12-14.
Há ainda uma consideração do pastor de que o homem não pode ser sujeito passivo do mundo e de Deus que o mundo derruba e Deus levanta, bem como o mesmo cita que devemos levantar com nossas próprias pernas. Pois bem, cito ainda “O Senhor empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do Senhor são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. 1 Samuel 2:7,8”
Por fim, encerro a minha humilde análise dizendo que se o você é crente, fiel a Deus, cuide para estar em pé. Não pense que o que você fizer não importará para sua salvação, nem que não importa se o mundo não ver ou não Deus refletido em você. Não cometa interpretações equivocadas. É bem provável que esta canção não foi feita pra você que está no caminho da santificação.
Entretanto, quando olho o testemunho do irmão Anderson ao citar que fez esta canção a uma presidiária, que já havia desistido de tudo e ao conhecer a salvação de Deus pra vida dela através dessa canção. Quando compartilho minhas experiências de todas as terças-feiras em que vou ao orfanato da minha cidade, evangelizar crianças e adolescentes, que cometeram erros, foram abandonadas pelos pais, são desprezadas pela sociedade e que ninguém lhes dá valor, para estes eu canto, que não olhem para os erros do passado, que Cristo quer fazer deles um espelho para refletirem a glória do Senhor. Sim, eu canto raridade e tenho visto lágrimas nos olhos, corações voltados ao arrependimento e Deus sarando feridas de corações machucados através do louvor, da unção e do poder da sua palavra.

Compartilho minha humilde opinião de um líder de louvor na igreja, evangelizador e Presbítero da igreja. E o faço de mente completamente aberta a crítica e trocas de ideias, pois só assim, ajudando-nos uns aos outros, chegaremos a “estatura de varão perfeito” e andaremos nessa terra com a graça e a misericórdia de Deus esperando a sua vinda.

Projeto Para Grupo de Louvor - Conjunto Umadepam 2015

Projeto 2015 – CONJUNTO UMADEPAM
Coordenadores: Jacson e Quézia, 


            1. Objetivos Gerais:

1.1 Tocar e cantar nos cultos de jovens aos sábados. Iniciando os cultos com louvor e adoração.
1.2 Fazer a parte instrumental nos louvores entoados pelo coral da Umadepam.
1.3 Tirar escala mensal no culto público do domingo a noite, sempre que o coral estiver escalado.
1.4 Fazer o louvor do Retiro de Carnaval
1.5 Fazer o louvor no Congresso da Umadepam.
1.6 Tocar nos demais eventos programados pela Umadepam ao longo do ano.

2. Objetivos Espirituais:

2.1 Ganhar almas para  Cristo através do louvor. “O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.” Pv 11:30.
Para ganhar almas é necessário:

            2.1.1 Ser cheio do Espírito Santo. (Atos 1:8)
            O Espírito Santo se faz necessário na vida do músico para que sejamos capacitados a ganhar almas para Cristo. Entendemos que para ser cheio do Espírito Santo é preciso:

                        2.1.1.1- Palavra.
                        O músico na casa de Deus, para ter um ministério excelente precisa conhecer a palavra de Deus (João 17:17). Desse modo, precisamos enquanto conjunto sermos ativos quanto a leitura bíblica e participação em Escola Bíblica Dominical. Também precisamos reverenciar a palavra de Deus nos cultos em que participamos.

                        2.1.1.2 – Oração.
                        Ser cheio do Espírito Santo, implica também em ter uma relação íntima com Deus e a oração é a comunicação direta do cristão com o pai. (Atos 6.4).

                        2.1.1.3- Jejum.
                        Sabemos que uma das maiores dificuldades na vida de um jovem cristão esta relacionada a dificuldade em vencer as tentações. Quando pecamos o Espírito Santo retira-se de nós. Desse modo, é importante que desenvolvamos em nós o domínio próprio sobre a nossa carne. O jejum é uma maneira eficaz de crucificarmos a nossa carne e deixar o Espírito agir em nossas vidas. “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Mt 4:4”.


           
2.2 Conduzir os demais jovens a adorar a Deus.

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” João 4:23. O grande desafio para esse ano, iniciando o culto com louvores é conduzir aos demais jovens da Umadepam a adorar a Deus conosco. Para isso, algumas considerações se fazem importantes.

            2.2.1- Compreender o que é adoração.
             Como posso querer levar os outros a adorar se eu não sei o que é adoração? Aprendamos a adorar e então levaremos os demais a adorar conosco. Mc 12:13.

            2.2.2- Desenvolver postura adequada.
            Para que os demais sejam levados a adorar conosco, precisaremos contagiá-los. E isso só será possível quando tivermos postura correta, precisamos também adorar enquanto tocamos ou cantamos. Precisamos também ter presença de palco. Também precisamos ser participativos quanto ao andamento do culto, respeitando e participando de cada momento.

            2.2.3 Dedicação/Aperfeiçoamento/Entrosamento.
            Um bom conjunto se faz quando cada um procura dedicar-se no seu talento. Quando o músico chega com o solo pronto. O cantor com a letra decorada, etc. O ensaio flui mais rápido e o tempo é melhor aproveitado. Deus é digno do nosso melhor, por isso devemos sempre fazer uso de métodos e técnicas que visem nos aperfeiçoar enquanto músico, enquanto cantor e em tudo aquilo que fazermos para o Senhor. Por fim, faz-se necessário a cada dia nos entrosarmos, dialogarmos, compreendermos um ao outro. Que possamos sempre ter a humildade para ouvir e estar aptos as sugestões, correções e que possamos nos completar.

            2.2.4 Responsabilidade.
            Queremos que todos os participantes do conjunto, sejam responsáveis quanto ao seu compromisso. Para isso devemos lembrar sempre de sermos pontuais nos ensaios, procure sempre chegar antes. Em dia de culto, procure chegar de 15 a 30 minutos antes, para instalar o seu instrumento, afiná-lo, passar o som para que quando iniciar a oração, o momento espiritual da igreja não seja atrapalhado com ruídos desagradáveis e que os membros do conjunto também possam ter um momento de oração para que Deus receba o nosso louvor. Quando não puder comparecer, procure sempre avisar os líderes. Tenha sempre o contato de mais de uma pessoa. As formas de contato podem ser as mais diversas: telefone, SMS, Facebook, Wathsapp, etc.


            3. Organização:
            Sugestões de hinos são bem vindas. Colabore com o repertório do conjunto. Procure sugerir com antecedência para que aqueles que não conhecem o louvor possam aprendê-lo. Também faremos uso de multimídia, passando os hinos no projetor para que todos possam cantar conosco.           


Lembre-se sempre: ADORAÇÃO NÃO É UM ESTILO DE MÚSICA E SIM UM ESTILO DE VIDA.


Poesia Gaucha - Missões - Autor: Jacson Bueno de Lima

POESIA MISSOES
Letra: Jacson Bueno de Lima 

Vivendo a hora final
Da igreja aqui nesta terra
Em que todo dia há guerra
Há uma luta espiritual
Do bem enfrentando o mal
Na luta contra maldade
Contra a mentira a verdade
Que, pelos salvos pregada
Anima a alma cansada
E enche de felicidade

E esta felicidade
Que muda a vida do homem
Problemas que lhe consomem
Já vão sendo resolvidos
Cansados e oprimidos
Tem o fardo aliviado
E de coração mudado
Recebem dons e talentos
Pra cumprir os mandamentos
Que Cristo tem ordenadoE uma das ordenanças
Foi o IDE de Jesus
Pregai a mensagem da cruz
Levando a todos os povos
Para os velhos e novos
Aos de perto e aos distantes
Sede firmes e constantes
Na palavra e no louvor
E na obra do Senhor
Sejam sempre abundantes

E assim em nome de Deus
O evangelho foi pregado
Pelos montes e valados
Pelo campo e no deserto
E assim como um tiro certo
Pregado a todas as gentes
Atravessou continentes
Chegou ao nosso país
E foi assim que Deus quis
Pra nos fazer mais contentes

5- E assim chegou a mensagem
De um jeito pentecostal
Uma chama sem igual
Por aqui se acendeu
O milagre aconteceu
Quantas palavras pregadas
Vidas sendo transformadas
E assim gerando mais vidas
E ate as almas oprimidas
Também foram libertadas

E então os nossos pastores
Na Direção do Senhor
Tomados por este amor
Que só Deus Pai tem por nós
Ouviram de Deus a voz
Na palavra a lhes falar
Que devemos anunciar
A todo aquele que vemos
Pois de graça recebemos
De graça devemos dar

Deus começou levantar
Homens pra fazer missões
A ir por muitos rincões
Seja a missão regional
No país ou mundial
Devemos fazer agora
Já é a última hora
Levanta as mãos ungidas
E resgata estas vidas
Que estão gemendo lá fora

A igreja de Santa Rosa
Que faz missão no Brasil
Também atravessa o rio
Prega em países vizinhos
Vencendo muitos espinhos
Pois é de Deus este plano
Já atravessou o oceano
Pra ir onde Deus mandou
E assim a missão chegou
No continente africano

E assim como se espalhou
a mais preciosa semente
você deve ter em mente
que precisa continuar
que pra onde Deus mandar
O obreiro tem de ir
pra que possa se cumprir
a boa e perfeita vontade
e que toda a humanidade
chegue aos pés de Jesus
e encontre esta luz
que nos leva a eternidade


Para que assim continue
O crescimento do evangelho
Pregado ao novo e ao velho
Toda gente, toda raça
É preciso que tu faças
A parte que Deus te deu
Pois aquilo que é teu
Só você pode fazer
Pra que outros venham crer
Assim como você creu

Igreja desperta agora
Pra cumprir tua chamada
Atenção companheirada
Não é tempo de dormir
Jesus breve há de vir
E virá como ladrão
Quando, não sabemos não
Qual dia do calendário
Nem o mês nem horário
Mas hoje ele tem falado
Que você sinta o chamado
E um desejo missionário

Maturidade Espiritual?

Hoje olhei o calendário e vi encerrando o mês de janeiro de 2015. Lembrei que foi por esta época do ano (não lembro a data) que na pequena igreja de Sede Nova, há 10 anos atrás o então presbítero Albino, dava oportunidade a um jovem para trazer uma palavra. Esse jovem era eu. Sim, eu estava nervoso por falar pela primeira vez, mas não estava sem saber o que falar, pois Deus pelo seu Espírito Santo já havia falado ao meu coração e pelo fato de eu ter acreditado na profecia de que seria um pregador e estar estudando pra isso.
Lembro de como as pessoas se admiraram, afinal era um guri de apenas 15 anos, com esboço pronto e falando sobre o Glorioso Mistério da Salvação. Oportunidades foram surgindo e fui perdendo a inibição. Dois anos depois surgia a oportunidade, através do Ev. Elias dos Reis, para o primeiro convite fora da minha cidade, e era em uma vigília com ótimos cantores e pregadores, com anúncio na rádio, pessoas de toda a região, etc. Foi tudo muito lindo, tudo muito bom. Veio então o primeiro congresso, os convites para programas de rádio, para cultos de jovens, para vigílias, etc. A região celeiro toda já me conhecia. Mas ainda era um jovem, cheio de falhas, cheio de anseios da juventude e isso muitas vezes impedia o crescimento ministerial. Estava fazendo faculdade e ainda morando na pequena Sede Nova, longe de tudo.
Nesse meio, já haviam se passados mais quatro anos, então era hora de sair de casa, rumar para outra cidade, também pequena, mas uma vida totalmente diferente. Morar sozinho, com todas as oportunidades da vida, mas a chance de não  repetir erros e semear ministerialmente. A acolhida do Pr. Walmir Ferraz foi tão grande em Alegria e as bênçãos de Deus também. Em meio as dificuldades de uma vida nova, vieram a consagração a diácono, cidades novas, convites novos, viagens mais longas.
Já estava começando a me empolgar quando, um ano depois, Deus me levou a Santa Rosa. Aprouve a Deus me colocar ao lado de grandes homens para me mostrar que eu não sabia nada. Aprendi com Natanael, Gilberto, Adriano, Valtair, André que a vida ministerial era muito mais complexa do que eu imaginava. Vi o quanto tinha que ouvir antes de querer falar. Entendi o quanto sabia pouco. Aprendi que picar o tomate para fazer o xis que arrecadaria dinheiro para o departamento também era obra de Deus. Que por traz do palco há muitos homens e mulheres de Deus fazendo a sua parte. Então, resolvi aplicar-me mais nos estudos. Então cada adia aprendo que sei menos e que é preciso aprender mais. Valeu cada segundo de aprendizado. Voltei a ver que podia ser útil também na área da música e que a igreja não precisa apenas de bons músicos, mas de pessoas que entendam a verdadeira adoração. Deus me fez estar ao lado de pessoas que sempre admirei e crescer junto com eles.

Passados dois anos e meio, era hora de mudar novamente. E cá estou em Palmeira das Missões, aprendendo com outros grandes homens e mulheres de Deus. Oportunidades surgindo, trabalho em departamentos, escalas, lugares que me sinto muito pequeno pra estar. Hoje entendo que pregar para mil pessoas na sede ou para 10 pessoas na congregação do bairro, ministrar uma escola dominical ou um ensaio para jovens devem ser encarados com o mesmo empenho e responsabilidade. Cada dia tenho certeza que é muito melhor ouvir do que falar, que é melhor aprender do que ensinar. Que para Deus não importa se você está nos holofotes ou nos bastidores. Que tanto o que semeia quanto o que ceifa terão a mesma recompensa. Hoje não corro atrás de oportunidades, mas quando elas vêm procuro não desperdiçá-las. Não por vaidade, mas por obediência ao Senhor da Seara. Não sei se hoje, ou amanhã, ou a semana que vem, estou completando 10 anos de ministério. Talvez mais maduro por compreender o quanto sou imaturo.