Compartilhando bençãos

Você é o visitante número:

Supostos erros teológicos na canção raridade

Acabo de me deparar com um debate acerca de supostos erros teológicos na Canção Raridade, analisados pelo pastor metodista Ildo Mello. Embora interessante a preocupação com a santidade da igreja cristã para não cair em heresias, há que se analisar alguns aspectos interessantes.
A primeira análise feita pelo referido pastor é de que  a frase “O pecado não consegue esconder A marca de Jesus que existe em você . O que você fez ou deixou de fazer Não mudou o início, Deus escolheu você”. Segundo o mesmo, tal afirmativa iria de  encontro aos ensinamentos sagrados pois dá a entender que o pecado não importa na vida do cristão, visto que não importa se o escolhido pecar ou não já está determinado sua situação de salvação.
Que me desculpe o digníssimo pastor, mas tal interpretação está equivocadíssima, visto que parece que há um desconhecimento entre os significados de “início” e “fim”. Notem que em nenhum momento o autor da canção cita que cometer pecado não alterará o destino final de sua alma. O que o autor cita é que os erros cometidos ao longo do caminho não fazem Deus se arrepender de ter escolhido alguém, visto que não altera o INICIO. Pode-se tonar que o crítico pastor faz referência ao apóstolo Paulo ao citar seus textos veementemente fortes contra o pecado. Pois bem o próprio apóstolo Paulo no capítulo 7 aos Romanos escreve contando suas misérias e confessando que muitas vezes acaba fazendo mal mesmo desejando fazer o bem.
Notem que as referências da canção são quanto ao que “você fez” ou “deixou de fazer”. É também uma questão semântica visto que tais verbos estão conjugados no passado. Em nenhum momento há afirmação de que não importa o que você irá fazer, mas sim que não devemos estar acorrentados ao passado, visto que a misericórdia do Senhor se renova todos os dias na nossa vida. Isaías 43:25 o próprio Deus diz:... "Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro".
Quanto a segunda parte sobre refletir a imagem do Senhor. A mesma é uma paráfrase ao texto de 1 Coríntios 13:18, que faz referência a passagem de Moisés quando o mesmo no deserto desejou ver a ‘face’ e Deus lhe deu a oportunidade de sentir um pouco da ‘glória do Senhor’. “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” 2 Coríntios 3:18.
Desse modo, quando o autor da canção fala em “não chore se o mundo ainda não notou” há logo em seguida a referência quanto ao valor de cada um e não quanto a refletir a glória do Senhor. O segundo aspecto a considerar é claramente que é uma música evangelística destinado a alguém que caiu, pecou, errou e por isso já outras pessoas não conseguem reconhecer o seu valor. Há inúmeros exemplos de homens de Deus na bíblia que erraram, Jonas fugiu, Davi cometeu adultério e homicídio, Pedro negou a Jesus. Por sinal a grande maioria desses homens não tiveram seu valor reconhecido pelo mundo até começarem a ser grandemente usado por Deus.
Ainda o pastor faz uma crítica quanto a “se você desistiu, Deus não vai desistir” citando as palavras de Jesus e de Paulo para que cuidemos estar em pé para não cairmos e que se negarmos Deus, Ele nos negará. Aí há uma confusão tremenda, pois a análise do pastor confunde DESISTIR com NEGAR A DEUS. Desistência e negação não são sinônimos nem aqui nem na China. O claro exemplo bíblico que tenho na bíblia de desistência é o de Elias, que pediu em seu ânimo a morte, pois havia desistido de seu ministério, mas Deus levantou e não desistiu de Elias, mesmo quando ele já havia desistido. Paulo, que é tão veemente contra o pecado, cita quem em momento de fraqueza quase desanimou da vida “ Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos.”  II Coríntios 1:8.
Por fim, finalmente concordamos com que Deus pode levantar o homem quando pelas influências humanas este cair. Realmente o mundo não tem poder para derrubar o homem, visto que caímos por nossas fraquezas. Mas cuidemos para não nos considerarmos super-homens “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. 1 Coríntios 10:12”. Ainda a epístola aos Hebreus cita “Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;” Hebreus 12:12-14.
Há ainda uma consideração do pastor de que o homem não pode ser sujeito passivo do mundo e de Deus que o mundo derruba e Deus levanta, bem como o mesmo cita que devemos levantar com nossas próprias pernas. Pois bem, cito ainda “O Senhor empobrece e enriquece; abaixa e também exalta. Levanta o pobre do pó, e desde o monturo exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do Senhor são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. 1 Samuel 2:7,8”
Por fim, encerro a minha humilde análise dizendo que se o você é crente, fiel a Deus, cuide para estar em pé. Não pense que o que você fizer não importará para sua salvação, nem que não importa se o mundo não ver ou não Deus refletido em você. Não cometa interpretações equivocadas. É bem provável que esta canção não foi feita pra você que está no caminho da santificação.
Entretanto, quando olho o testemunho do irmão Anderson ao citar que fez esta canção a uma presidiária, que já havia desistido de tudo e ao conhecer a salvação de Deus pra vida dela através dessa canção. Quando compartilho minhas experiências de todas as terças-feiras em que vou ao orfanato da minha cidade, evangelizar crianças e adolescentes, que cometeram erros, foram abandonadas pelos pais, são desprezadas pela sociedade e que ninguém lhes dá valor, para estes eu canto, que não olhem para os erros do passado, que Cristo quer fazer deles um espelho para refletirem a glória do Senhor. Sim, eu canto raridade e tenho visto lágrimas nos olhos, corações voltados ao arrependimento e Deus sarando feridas de corações machucados através do louvor, da unção e do poder da sua palavra.

Compartilho minha humilde opinião de um líder de louvor na igreja, evangelizador e Presbítero da igreja. E o faço de mente completamente aberta a crítica e trocas de ideias, pois só assim, ajudando-nos uns aos outros, chegaremos a “estatura de varão perfeito” e andaremos nessa terra com a graça e a misericórdia de Deus esperando a sua vinda.